Poesias Nonsense

Chacota

Chacota nas costa do Sergipe
Nicotina dos pesares
Solidão incomparável
Ao último bretão
Seguindo seu lenço
Sucumbiu na torre hostil
Incomparável
A sua quimera
Chagas sinceras
De lágrimas lagrimadas
E risos risilados
No eco de um túnel mórbido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: