Poesias Nonsense

Chuva

Derrepente!
Tudo o que parecia certo
m
u
d
a.
Como a chuv
a
que                 c
a
i
e
torna úmido o      árido
chão
      A
gota de
improviso
 estremece..
qualquer
solidão

       As

duas palmas
escondem a face

nenhuma palavra
emerge então…
U
m
silêncio
ecoa.
A esperança atordoa.
Você percebe o quanto
você queria estar
em algum lugar
                                   estar
                                            amar
só depende de como                    propiciar
que o orvalho

Traga o

amor em você

novamente  brot
a
r

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: