Poesias Nonsense

Inacabado

O amor não é eterno
Vive-se de fragmentos de memórias
Química dança, valsa-sentença
Entre pesares e penhores
Flores apodrecem dentro do jarro
Sementes brotarão!
Viverás de retratos
Esperarás aparatos
Que mostrará o quanto foi ingrato
E rude este tal de destino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: