Poesias Nonsense

Depois da chuva
mente…
Amalgamado em repúdio retratos
Juntos trapo por trapo
Escondendo de todos
Aquele antigo retrato
Você sorria?
Dia-a dia
Todos os dias que não foram dias
Caminhávamos…
Para qual local?
Andarilho de um canto
Viveres a vida pra cantoar
As mesmas lembranças
Que habitam aquela velha rede
Olhos lavados de lágrimas
Orvalham um peito que já fora seu
ORDENHE O PRESENTE
CALA-TE O FUTURO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: