Poesias Nonsense

Veneno à conta gotas

                                                             A
cada
gole deste
veneno vamos
vivendo, escondendo
as noites frias
e os dias cinzas.
No fim de tarde
laranja
Olhei para o céu:
suspirei, pensei, errei…
Só tinha uma escolha,
o futuro

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: