Filosofia

Quatro tipos de ídolos por Bacon

A teoria dos ídolos de Bacon pode ser considerada como antecessora do moderno conceito de ideologia (falsa consciência),

Na obra Novum Organum, Bacon enumera quatro tipos de ídolos que aprisionam a mente humana: ídolos da tribo, ídolos da caverna, ídolos
do foro e ídolos do teatro.

Os ídolos da tribo

“Alicerçam-se na própria natureza humana, na própria família humana
ou tribo. (…) O intelecto humano é como um espelho desigual em relação
ao raio das coisas: ele mistura a sua própria natureza com a das coisas,
que deforma e desfigura” (Apud REALE & ANTISERI, 2003, p. 335).

Com isso, o intelecto humano é levado a supor nas coisas uma ordem bem maior do que aquela que realmente se encontra nelas. O intelecto finge correspondências e relações que na realidade não existem. Quando encontra alguma ideia que o satisfaz, o intelecto humano procura validá-la. Isso ocorre porque o homem crê que é verdadeiro o que ele prefere. Isso significa que muitos dos nossos enganos derivam da nossa tendência ao antropomorfismo.

Os ídolos da caverna

“Derivam de cada indivíduo. Além das aberrações comuns ao gênero
humano, cada um de nós tem uma caverna ou uma gruta particular na
qual a luz da natureza se perde e se corrompe, por causa da natureza
própria e singular de cada um, por causa da sua educação ou conversação com os outros, por causa dos livros que lê e da autoridade dos que admira e honra ou por causa da diversidade de impressões” (Apud REALE & ANTISERI, 2003, p. 336).

Os ídolos do foro

“Há também ídolos que, por assim dizer, dependem de contato ou dos
contatos recíprocos do gênero humano; nós os chamamos ídolos do foro”
(Apud REALE & ANTISERI, 2003, p. 336).

Os ídolos do teatro

“Penetraram no espírito humano por meio das diversas doutrinas
filosóficas (…). Pois todos os sistemas filosóficos foram acatados ou
cogitados como fábulas preparadas para serem representadas no palco,
boas para construir mundos de ficção e de teatro” (Apud REALE &
ANTISERI, 2003, p. 337).

Referências

  • ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à Filosofia, 3.ed.rev. São Paulo: Moderna, 2007.
  • ARRUDA, José Jobson de A. História Moderna e Contemporânea. São Paulo: Ática, 1974.
  • MOTA, Carlos Guilherme. História Moderna e Contemporânea. São Paulo: Moderna, 1986.
  • REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da Filosofia: do humanismo a Kant, 6.ed. São Paulo: Paulus, 2003. v. 2.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: