Clipping educação

Coluna do Camões #01 – Existe aluno burro?

Clipping da Coluna do Camões publicada no Diário do Rio Claro
Diário do Rio Claro, edição 19/08/2020

Confira a Coluna em: http://j1diario.com.br/jornal-camoes-por-antonio-archangelo/?fbclid=IwAR36XE7CVoAXAJenbit7jl6HpwD0fC8skwobt3KIlfcBu5G9LReo7tn8VYA


Primeiramente é um privilégio voltar a contribuir com o Centenário após oito anos.


Deixei a chefia de redação em 2012. Ainda recordo-me dos ensinamentos do Martins e do
saudoso Sr. Geraldo.
Pretendo registrar iniciativas exitosas da educação pública e tecer algumas reflexões sobre
a importância da formação integral dos cidadãos 4.0.


A pandemia tem ceifado vidas e empregos, botou muita gente para se reinventar. A zona de
conforto foi literalmente destruída. Da política, saúde e a sala de aula: não há mais espaço
para a inércia.
A internet já tinha resetado o mundo da música, das artes, da literatura, do jornalismo e


vinha mudando outros cenários com mais lentidão. A pandemia acelerou o processo: eis o
“novo normal”


Meu receio é que, no futuro próximo, se encontre novas maneiras de procrastinar e deixar o
futuro do país, novamente, em segundo plano…


O país precisa pacificar sua história, aprender com seus erros e parar de apostar em salvadores da pátria ou milagres econômicos. Precisamos investir no material humano. Não se constrói um futuro brilhante com semianalfabetos em português, história e matemática.


E veja bem, não é o tipo de assunto que você resolva com expressões do tipo: o aluno é burro.


O aluno, assim como você, só aprende o que lhe é significativo. Se é significativo para ele, em sua realidade de miséria e marginalização, roubar calotas de carro: ele aprenderá…


Se for jogar e trapacear em um jogo de videogame: ele aprenderá…


Oras, se ele aprende o que lhe é significativo, porque ignora lições de matemática e português? É meu caro, a educação precisa ser 4.0, para alunos 4.0.


Lembro aqui um projeto piloto que acompanhei em uma escola estadual seis anos atrás.


Como ensinar política, protagonismo e geografia? Fazendo os alunos jogarem Simcity nos
computadores da escola: bingo! Ideia do grande Fábio Binotto…


E assim termino essa coluna, nos vemos semana que vem!


*escute o nosso podcast “Poemas Uivantes para Seres Falantes” no Spotify

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: