Notícias Processos Educacionais em saúde Saúde Coletiva

Em periódico internacional, pesquisadores da UFSCar enfatizam necessidade de fortalecimento do SUS

Pesquisadores da UFSCar reiteraram a importância do fortalecimento do SUS em artigo publicado em revista norte-americana
Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera.
© Rovena Rosa/Agência Bras

Diante do contexto de constantes ataques a ciência e ao Sistema Único de Saúde (SUS) durante a pandemia de COVID-19, professores e pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Gestão da Clínica (PPGGC) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) publicaram no periódico norte-americano “Journal of Modern Education Review” o artigo “Transcendence in the Formation of the Healthcare Professional for Changing Practice” (A transcendência na formação do profissional de saúde para a mudança da prática).

O artigo científico foi idealizado quando os mestrandos Antonio Archangelo e Enderson Carvalho tentavam entender como a educação permanente poderia ser utilizada como ferramenta de fortalecimento do SUS no período que ocupavam o papel de gestores da Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro, interior de São Paulo. Com a união de diversas sínteses das discussões proporcionadas pela disciplina de Processos Educacionais em Saúde, no ano de 2018, surgiu a confecção do artigo sob a tutela dos professores Aline Guerra Aquilante e Jair Borges Barbosa Neto, ambos da UFSCar, com a participação de Eucinete Ferreira de Lima (profissional do SUS de Rio Branco/AC) e de Ángela Maria Velasquez Lainez (da Universidade de Honduras).

O resultado do processo gerou a apresentação de trabalho no Congresso de Pós-Graduação da UFSCar, em 2019 e o convite para publicarem um artigo na revista norte-americana.

Para os autores, há necessidade de novos paradigmas para a formação dos profissionais, sobretudo do SUS, e essa formação passa a ter como meta levar o profissional de saúde a identificar os atores sociais e transcender dentro de uma prática a partir do ponto de que, se empoderado, ele passará a enfrentar tensões e através de ações críticas e reflexivas fortalecer sistema público e gratuito.

Para a professora e pesquisadora Aline Guerra Aquilante, “hoje mais que nunca” o tema se torna primordial para que o SUS saía fortalecido da pandemia. “O empoderamento dos trabalhadores da saúde é primordial para o fortalecimento do sistema”, pontua Enderson Carvalho que hoje é Coordenador Geral de Estágios do Centro Universitário Clareatiano.

No paper, os autores pontuam que “O processo de empoderamento propicia mudança de paradigma trazendo benefícios, seja pelo aprimoramento do controle social (um dos pilares do SUS), seja pela proposta de transformar e qualificar a atenção à saúde numa perspectiva intersetorial, no sentido de propiciar a reflexão crítica dos modelos e práticas na rotina dos trabalhadores em saúde”.

O artigo pode ser lido na íntegra no Journal of Modern Education Review (ISSN 2155-7993), Oct. 2020, Volume 10, Nº. 10, pp. 930–936. Doi: 10.15341/jmer(2155-7993)/10.10.2020/013. Ou no site
Academic Star Publishing Company: http://www.academicstar.us.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: